Texto: Reinaldo José Lopes – Site Folha de São Paulo – Reprodução Midia India (instagram)

 

    Imagem:Caroline Wikinson/ Fonte Folha de São Paulo

    O DNA de indígenas que viveram em Pernambuco por volta de mil anos atrás pode trazer pistas importantes sobre o povoamento da América do Sul antes da chegada dos europeus, mostra um novo estudo.

    A análise do genoma desses antigos indígenas nordestinos sugere que eles tinham um parentesco relativamente próximo com outros povos que viviam perto do litoral atlântico sul-americano, numa ampla faixa que incluía Minas Gerais e até o Uruguai.

    Por outro lado, as semelhanças genéticas deles com habitantes pré-colombianos do litoral do Pacífico e dos Andes eram bem menores. Isso sugere que a América do Sul pode ter sido povoada originalmente em duas ondas distintas, primeiro do lado andino e, mais tarde, pelo lado do Atlântico, segundo a nova pesquisa.

    O trabalho, que acaba de sair na revista científica Proceedings B, tem como primeiro autor o brasileiro André Luiz Campelo dos Santos, pesquisador de pós-doutorado da Universidade Atlântica da Flórida (EUA). Também assinam o estudo pesquisadores de outras instituições americanas e da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco).

    Saiba mais em: https://bit.ly/3DRbq1T
    Via: @trabalhoindigenista

    #emergênciaindígena
    #indigenas
    #povosindigenas
    #indigenous

    Compartilhar

    Rodrigo Martins

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Next Post

    Pedimos Justiça contra mais uma violência cometida contra o povo Yanomami

    seg nov 14 , 2022
    Texto: COIAB (instagram) Imagem: Reprodução COIAB instagram A Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) junta-se ao Conselho Indígena de Roraima (CIR) e à Hutukara Associação Yanomami (HAY) em repúdio a mais uma violência contra o povo Yanomami. Na noite desta sexta-feira (11), um grupo de indígenas Yanomami, oriundos […]